PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO

1

Plano de Atendimento Singular

O PAS é o instrumento que especifica e monitora as ações de acolhimento individual, devendo reunir todas as informações a respeito do acolhido, inclusive aquelas exigidas pelos órgãos de controle e fiscalização, conforme modelo constante do Anexo Único.

 

O PAS deverá necessariamente conter as seguintes informações:

a) dados pessoais do acolhido; b) indicação dos familiares ou pessoas indicadas pelo acolhido, os respectivos contatos, bem como a evolução do vínculo familiar durante o período de acolhimento; c) histórico de acompanhamento psicossocial, incluindo eventuais internações, acolhimentos e outras formas de tratamento; d) indicação do profissional de referência da equipe da entidade para o acolhido; e) qual(is) a(s) substância(s) psicoativa(s) de que faz uso o acolhido; f) motivação para o acolhimento; g) todas as atividades a serem exercidas pelo acolhido, dentre aquelas do art. 12, e a frequência de suas realizações; h) período de acolhimento e as intercorrências; i) todos os encaminhamentos do acolhido aos serviços da rede do SUS, SUAS e demais órgãos; j) todos os encaminhamentos visando à reinserção social, incluídos os projetos de educação, capacitação profissional e geração de trabalho e renda; k) evolução do acolhimento, seus resultados e o planejamento de saída do acolhido.

2

Plano Individualizado de Atendimento

O Serviço de Acolhimento Institucional é garantido dentro da Proteção Social Especial de Alta Complexidade objetivando acolher famílias e/ou indivíduos cujos vínculos familiares foram rompidos, ofertando a estes proteção integral.

Neste serviço são desenvolvidos trabalhos técnicos, planejamentos, estudos sociais e situacionais, bem como acompanhamento familiar para a superação da violência, possibilidade de reintegração familiar, minimização dos impactos sofridos e desenvolvimento da autonomia dos acolhidos.

Este acompanhamento especializado exige uma instrumentalização adequada, a qual é chamada de Plano Individual de Atendimento e exigida pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, atualizado pela Lei nº 12.010, de 3 de agosto de 2009, e, também, na Resolução Conjunta CNAS/ CONANDA nº 01/2009.

O Plano Individualizado de Atendimento é um instrumento em respeito a determinação legal utilizado na orientação dos trabalhos com adolescentes.

 

O seu preenchimento ocorre no máximo até 20 dias após a chegada do acolhido e sua operacionalização é de responsabilidade da Assistente Social.

A inserção do assistente social é de suma importância, pois este profissional tem uma prática socializadora, possui uma visão ampla, sendo propositivo e proporcionando formas a instigar e potencializar aos usuários meios de enfrentamentos desta problemática, de forma que aconteça a inserção social.

3

Atendimento Psicológico 

Dentro do Projeto Terapêutico e do Cronograma de atividades das unidades, são disponibilizados aos acolhidos profissionais técnicos especializados na área de psicologia para realização de atendimentos individualizados em em grupo.

A Finalidade desta atendimento é a compreensão dos problemas enfrentados pelo acolhido e descrever junto com equipe multidisciplinar ações individuais de tratamento aos mesmos.

Dentre as diversas funções que um psicólogo realiza para o acompanhamento e tratamento de um dependente químico, destaca-se sua aptidão para buscar compreender e cuidar dos motivos que levou o dependente a recorrer às drogas como uma saída para os problemas.

Em muitos  casos, um problema pessoal, uma sensibilidade para enfrentar os desafios da vida, conflitos familiares e, até mesmo, sociais provocam a vontade de buscar as drogas e, por isso, é necessário resolvê-la para que o dependente não tenha sucessivas recaídas ou crises de abstinência.

 

Portanto, é evidente que o papel profissional do psicólogo para o acolhimento, apoio, recuperação, e reintegração de um dependente químico é de suma importância, trazendo grandes benefícios ao dependente, aos seus familiares e à sociedade.

4

 

Atividades Física e Recreativa

5

 

Atendimento de Enfermagem

6

 

Terapeuta Comportamental

Tem-se conhecimento de que praticar atividade física ajuda na melhora da qualidade de vida do indivíduo, pois além de proporcionar ganhos fisiológicos também contribui para o seu bem estar mental.

 

A atividade física faz com que o organismo adapte-se a um patamar maior de exigência e de capacidade de resposta. Se observarmos as pessoas em tratamento para dependência química, existe um processo contínuo desde a fase inicial, que se caracteriza pela limitação, pela perda progressiva da capacidade de adaptar-se, de responder a uma sobrecarga física ou mental, seja do cotidiano, seja uma sobrecarga artificial ou incomum, como sua exposição a doenças provenientes do uso de substâncias psicoativas. Ela varia de intensidade e duração respeitando a individualidade biológica de cada indivíduo, causando-lhes um estado de relaxamento tanto psíquico quanto somático.

 

 Nessa linha, o corpo humano se adapta ao estresse provocado pelo exercício através de um rápido ajuste metabólico, que é coordenado pelo sistema nervoso e endócrino necessários para a manutenção da homeostase nos diferentes graus de exigência metabólica da atividade.

 

A prática de atividade física está associada á liberação de substâncias, uma delas é a endorfina, ela age no cérebro proporcionando-lhe estado de prazer e relaxamento.

 

Diante deste fato, tanto o uso de drogas como a prática de diferentes atividades produzem sensações de prazer, representada pela liberação de adrenalina. A adrenalina

A equipe de enfermagem é a que mais mantém contato próximo com o paciente em diferentes áreas da saúde — e não é diferente no cuidado com pacientes dependentes químicos. Esses profissionais têm grande potencial de reconhecerem os problemas relacionados ao uso de drogas e apresentam uma atuação muito relevante nessa área.

Por isso, contar com a equipe de enfermagem é essencial em qualquer clínica, comunidade terapêutica ou centro que lide com dependentes químicos. Para atuar na área, o profissional de enfermagem precisa ter conhecimento relativo a alguns temas, como:

-tipos de drogas e suas atuações no organismo;

-sintomas relacionados ao uso de drogas e emergências;

-fundamentos de saúde mental e psiquiatria;

-aspectos psicossociais relacionados ao uso de drogas;

-transtornos mentais.

Atendimento individualizado com a finalidade de avaliação das condições de saúde do acolhido desde sua chegada, com acompanhamento durante o período de tratamento até a alta clínica.

Na fase inicial em caso de encaminhamento com receituário para uso de medicamentos, o departamento de enfermagem realiza a separação individualizada de uso de acordo com a prescrição médica. 

O Terapeuta das unidades realiza palestras semanais com a finalidade de abordar temas relacionados com comportamento individualizado e coletivo.

Durante o período de tratamento os acolhidos são levados a reflexão do comportamento passado, da importância das atividades presentes e da descoberta de novos objetivos de vida para o futuro.

Toda atividade do terapeuta tem suporte da equipe de psicologia e coordenadores das unidades.

O terapeuta comportamental trabalha na recuperação do dependente químico que tem dificuldades em realizar as tarefas cotidianas, desenvolver as habilidades motoras, sensitivas.

O terapeuta comportamental tem foco na construção ou na reconstrução do cotidiano, de acordo com as necessidades individuais de cada dependente.

7

 

Atendimento Assistente Social

8

 

Atividades Auto Cuidado e Sociabilidade

9

 

Atividades Educacionais

Ressaltando que a atuação do assistente social é pautada na ampliação e consolidação da cidadania, livre de qualquer preconceito, compreendendo o indivíduo em sua totalidade.

O trabalho do assistente social, também se efetiva através de acolhimento e orientação aos usuários onde auxilia os familiares no processo do tratamento, na recuperação do indivíduo e no fortalecimento do vínculo familiar, execução de programas, e ampliação de novos projetos com ações pautadas no Código de Ética da profissão.

Entende-se que a principal função do assistente social, é preservar e ampliar os direitos, e a intervenção profissional, que é caracterizada pelo atendimento às demandas e necessidades sociais  dos dependentes, que podem produzir resultados concretos, tanto nas dimensões materiais, quanto nas dimensões sociais, políticas e culturais da vida da população, viabilizando seu acesso à Políticas Sociais, diminuindo assim as desigualdades sociais existentes.

Para as organizações de Saúde, o atendimento a necessidades individuais ou coletivas é realizado por diferentes profissionais. No caso da prática profissional de terapeutas ocupacionais, o foco é o desempenho ocupacional, considerando o autocuidado na perspectiva coletiva de tarefas básicas do indivíduo em relação ao cuidado pessoal (HASSELKUS, 2008).

Segundo Torres, Davim e Nóbrega (1999), são três os requisitos de autocuidado ou exigências apresentados por Orem: universais, de desenvolvimento e de desvio de saúde. Os universais estão ligados aos processos de vida e à manutenção da integridade da estrutura e funcionamento humanos, tendo como exemplo as atividades cotidianas. Os requisitos de desenvolvimento estão associados aos processos particularizados do desenvolvimento, tendo como exemplo a adaptação a um novo trabalho.

Atividades de tem por finalidade condicionar a pessoa a disciplina de organização de espaço de convivência e compartilhamento de responsabilidades pessoais e coletivas. Nesta atividade os acolhidos também tem a oportunidade de realizar trocas de experiências.

Ao estabelecer um vínculo entre a internação para tratamento de dependentes químicos e a educação, compreende-se que os processos educativos podem e devem estar presentes em um ambiente que se caracterize por ser terapêutico.

 

Sabe-se que o comportamento individual e a formação da consciência moral e dos ideais são moldados por meio de valores transmitidos, principalmente, na família e na escola.​

Pensando na melhoria das condições de vida do acolhido e na sua evolução social e profissional, O Desafio Jovem Maanaim tem investido na continuidade da vida acadêmica durante o período de tratamento.

Dentro desta perspectiva os acolhidos adolescentes são matriculados em escolas de ensino fundamental e médio para aulas regulares, enquanto os adultos tem acesso a capacitação para realização das provas de nivelamento ofertadas pela INEP.

10

 

Atividades Profissionalizantes

A importância de um curso profissionalizante se deve, entre outros fatores, aos efeitos positivos que ele pode trazer para a carreira. Afinal, seus métodos e conteúdos são desenvolvidos especificamente de acordo com o perfil profissional e o mercado no qual estão inseridos os alunos. 

Uma formação profissionalizante colabora para que os estudantes adquiram várias competências aplicáveis em um ramo de atuação.

Assim, eles se tornam aptos a desempenhar mais de uma função, ampliando suas possibilidades de carreira. 

Além disso, ele ajuda no desenvolvimento de habilidades práticas, que dificilmente são obtidas em uma sala de aula tradicional, formando assim um profissional especializado em resolver problemas e encontrar soluções com agilidade.

11

 

Visita das Famílias e Ligações Telefônicas

Apesar de muitos acolhidos que procuram o tratamento por problemas relacionados ao uso de substâncias psicoativas, terem o seus vínculos familiares fragilizados ou até rompidos, em nossa visão a participação e o envolvimento da família no processo de recuperação tem grande relevância no resultado final do tratamento.

Pensando nisto, em todas as unidades tem em seu cronograma o dia da família.

As visitas ocorrem sempre aos segundos domingos de cada mês, salvo em situações exporádicas e de extrema necessidade a data sofre alguma alteração.

O dia da família acontece a partir de 08h00min até as 17h00min e nesta oportunindade são realizadas palestras aos familiares com apoio dos coordenadores da unidade e com suporte de psicólogo.

A família tem a oportunidade de passar o dia com o acolhido e inclusive sair para realizar um passeio com o mesmo para almoçar e aproveitar um dia de passeio turístico na bela região das terras altas da Mantiqueira.

O dia da ligação telefônica ocorre sempre aos sábados e domingos, geralmente entre as 13h00min e as 17h00min, dando a oportunidade da família acompanhar com maior periodicidade, através de relatos dos próprios acolhidos, como tem sido o desenvolvimento das atividades no seu processo de recuperação.

12

 

Suporte para Perícia INSS

Pensando em atender as necessidades dos acolhidos que são encaminhados para tratamento e que estão exercendo atividades profissionais ou que tenham contribuído para o INSS e tenham direito a perícia, o escritório central do Centro de Recuperação Álcool e Drogas Desafio Jovem Maanaim disponibiliza a família e ao acolhido um suporte para agendamento e encaminhamento de realização de perícia junto ao INSS.

Todo procedimento é realizado mediante solicitação feita junto ao Escritório central e as orientações são feitas de forma individualizada, respeitando os direitos de cada contribuinte que tem direito ao auxílio doença.

@2020 criado por Marcos Vinicius Vitorino de Castro

Ligue:

(35) 3363-2539

(35) 3363-2109

Endereço: 

Rodovia BR 354 KM 762 Bairro Sobradinho

Itamonte - Minas Gerais Cep. 37.466-000

Caixa Postal 52